21 de outubro de 2020
Dicionário da saúde: hanseníase
Antigamente, a doença era conhecida pelo nome de lepra
atualizado em: 21 de outubro de 2020
A hanseníase é uma doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium leprae e que afeta a pele e os nervos periféricos (responsáveis pela sensibilidade e a motricidade), transmitida por meio das gotículas respiratórias da pessoa contaminada (através da tosse ou espirros) através do contato com as feridas da pele, após um longo e próximo período de convivência. É uma doença que tem cura e se tratada precocemente, pode evitar sequelas¹. Os principais sintomas são manchas claras, vermelhas ou escuras, com alteração da sensibilidade no local. Nos casos mais graves, quando o nervo é afetado, apresentam sinais de dormência, perda de tônus muscular e retração dos dedos, provocando incapacidade física na pessoa².

Essa bactéria foi identificada em 1873, pelo cientista Armauer Hansen e é uma das doenças mais antigas que existem, com casos registrados na China, Egito e Índia há mais de 4 mil anos. A hanseníase possui duas classificações operacionais: paucibacilar (poucos bacilos, em estágio inicial e não transmissível) e multibacilar (muitos bacilos, transmissível)² e apresentam-se das seguintes formas¹:

  • Hanseníase indeterminada é quando está no começo e na maioria dos casos, sua cura é espontânea. Apresenta uma lesão de cor clara, com diminuição da sensibilidade.

  • Hanseníase tuberculóide é a forma mais benigna da doença. As lesões são poucas (ou única) e apresentam alterações nos nervos próximos à lesão (provocando dor e fraqueza, além de atrofia muscular).

  • Hanseníase borderline ou dimorfa, apresenta um número de lesões maiores, com manchas em grandes áreas da pele, com comprometimento dos nervos.

  • Hanseníase virchowiana ou lepromatosa é um dos casos que se desenvolve para um quadro mais grave, provocando a anestesia dos pés e mãos, feridas que podem causar deformidades, atrofia muscular e lesões elevadas na pele. Nesta forma, a doença pode acometer também os órgãos internos.


É possível prevenir a doença, tendo hábitos saudáveis e boa higiene. A vacina BCG é também indicada para melhorar a resposta imunológica da pessoa². O tratamento é feito à base de antimicrobianos, e pode durar até mais de 12 meses, a depender da gravidade.

 
Fontes:

1- Hanseníase – Organização Pan-Americana de Saúde. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=419:hanseniase&Itemid=463. Último acesso em 19 de outubro de 2020.

2- Hanseníase – Sociedade Brasileira de Dermatologia. Disponível em: https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/hanseniase/9/. Último acesso em 19 de outubro de 2020.