Os perigos da anemia
A incidência de anemia por deficiência de ferro aumenta em populações com carências nutricionais.
Publicado em: 17 de junho de 2019  e atualizado em: 4 de novembro de 2021
  • Para compartilhar

A anemia é um dos principais problemas de saúde pública mundial, chegando a afetar mais de um quarto da população do planeta, ou seja, mais de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo¹. É definida por valores de hemoglobina no sangue abaixo do normal para idade e gênero e a metade dos casos é determinada por deficiência de ferro (DF), a deficiência nutricional mais recorrente e negligenciada no mundo, particularmente entre as mulheres e as crianças dos países em desenvolvimento¹. Também ocorre significativamente nos países industrializados e afeta pessoas de todas as idades em todos os países¹.

incidência de anemia por deficiência de ferro aumenta em populações com carências nutricionais; com ingestão ou absorção inadequada de ferro; hábitos vegetarianos; dietas com muito chá ou café, que inibem a absorção de ferro, ou sem vitamina C (frutas cítricas), que favorece a sua absorção; baixo nível sócio-econômico e educacional; presença de infestações endêmicas (malária, ascaridíase, helmintoses, protozooses intestinais); estado nutricional influenciado pelo baixo peso, principalmente de mulheres em idade gestacional, associado à multiparidade e não uso de suplementação de ferro na gestação¹. Além disto, a ADF pode ser causada por hemorragias diversas, como as devidas a traumas ou por melena (sangue nas fezes), hematêmese (vômito com sangue), hemoptise (tosse com sangue), menstruações, partos ou por múltiplas gestações¹. Pode também apontar para uma doença grave subjacente com sangramento oculto¹.  

Sintomas 

Os sinais e sintomas da carência de ferro são inespecíficos, necessitando-se de exames laboratoriais de sangue para que seja confirmado o diagnóstico². Os principais sinais e sintomas são: cansaço generalizado, falta de apetite, palidez de pele e mucosas (parte interna do olho, gengivas), menor disposição para o trabalho, dificuldade de aprendizagem nas crianças, apatia (crianças muito "paradas"). 

Os perigos e o devido tratamento 

A anemia traz os seguintes efeitos adversos: diminuição da produtividade no trabalho, diminuição da capacidade de aprendizado, retardamento do crescimento, apatia (morbidez), perda significativa de habilidade cognitiva, baixo peso ao nascer e mortalidade perinatal² Os esforços e as estratégias gerais na prevenção da DF devem contemplar o acesso a dietas diversificadas, a melhora nos serviços de saúde e saneamento e a promoção de melhores cuidados com as práticas de alimentação¹.

O tratamento preventivo e sustentável da DF inclui, primordialmente, a garantia do aporte nutricional necessário de ferro para a população vulnerável¹. Atualmente, entre os grupos de risco mais vulneráveis para a ocorrência de anemia estão as crianças com menos de 2 anos, gestantes e mulheres no pósparto¹ Existem evidências crescentes que as deficiências em micronutrientes têm papel central em impedir que crianças atinjam seu pleno potencial e tenham comprometimento irreversível de seu desenvolvimento cognitivo¹ 

Fontes de ferro 

O ferro pode ser fornecido ao organismo por alimentos de origem animal e vegetal, sendo que os de origem animal é melhor aproveitado pelo organismo². São melhores fontes de ferro as carnes vermelhas, principalmente fígado de qualquer animal e outras vísceras (miúdos), como rim e coração; carnes de aves e de peixes, mariscos crus²Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o leite e o ovo não são fontes importantes de ferro². Contudo, no mercado já existem os leites enriquecidos com ferro². Entre os alimentos de origem vegetal, destacam-se como fonte de ferro os folhosos verde-escuros (exceto espinafre), como agrião, couve, cheiro-verde, taioba; as leguminosas (feijões, fava, grão-de-bico, ervilha, lentilha); grãos integrais ou enriquecidos; nozes e castanhas, melado de cana, rapadura, açúcar mascavo². Também existem disponíveis no mercado alimentos enriquecidos com ferro como farinhas de trigo e milho, cereais matinais, entre outros². 

 

Fontes: 1. Anemia por deficiência de ferro. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas. 2. Anemia – Biblioteca Virtual em Saúde - Ministério da Saúde. Último acesso no dia 06 de junho de 2019. 

 

Este material tem caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte sempre seu médico.
  • Para compartilhar