As vacinas necessárias durante a vida

A vacinação é uma das medidas mais importantes de prevenção contra doenças

Publicado em: 9 de maio de 2019  e atualizado em: 4 de novembro de 2021
  • Para compartilhar

Com a Covid-19, o assunto vacinação ganhou uma importância jamais vista em nossa geração. Mas ela antecede isso. A vacinação é uma das medidas mais importantes de prevenção contra doenças¹. É muito melhor e mais fácil prevenir uma doença do que tratá-la, e é isso que as vacinas fazem¹. Elas protegem o corpo humano contra os vírus e bactérias que provocam vários tipos de doenças graves, que podem afetar seriamente a saúde das pessoas e inclusive levá-las à morte¹. 

A vacinação não apenas protege aqueles que recebem a vacina, mas também ajuda a comunidade como um todo¹. Quanto mais pessoas de uma comunidade ficarem protegidas, menor é a chance de qualquer uma delas – vacinada ou não – ficar doente¹. Além disso, algumas doenças preveníveis por vacina podem ser erradicadas por completo, não causando mais doença em nenhum local do mundo¹. 

Não é apenas na infância

É importante destacar que as vacinas não são necessárias apenas na infância¹. Os idosos precisam se proteger contra gripe, pneumonia e tétano, e as mulheres em idade fértil devem tomar vacinas contra rubéola e tétano, que, se ocorrerem enquanto elas estiverem grávidas (rubéola) ou logo após o parto (tétano), podem causar doenças graves ou até a morte de seus bebês¹. Os profissionais de saúde, as pessoas que viajam muito e outros grupos de pessoas, com características específicas, também têm recomendações para tomarem certas vacinas¹. 

No Brasil, o Ministério da Saúde oferece gratuitamente um grande número de vacinas contra diversas doenças graves¹. Todos devem estar atentos ao calendário básico de vacinação, devem levar seus filhos e estimular os parentes a irem aos postos de saúde para serem vacinados nas idades recomendadas¹. Fique atento ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), um dos mais reconhecidos em saúde pública no Brasil e no mundo do Ministério da Saúde, de grande aceitação por boa parte da população²  

Veja abaixo, algumas das vacinas mais importantes e necessárias ao longo da vida. 

Para crianças: 

  • Vacina hepatite B (recombinante); 
  • Vacina BCG; 
  • Vacina adsorvida difteria, tétano, pertussisHaemophilus influenzae b e hepatite B (conjugada); 
  • Vacina poliomielite 1, 2 e 3 (VIP) (inativada); 
  • Vacina oral rotavírus humano G1P1 [8] (atenuada);
  • Vacina pneumocócica 10 (conjugada); 
  • Vacina meningocócica C (conjugada);
  • Vacina poliomielite 1, 2 e 3 (VOP) (atenuada); 
  • Vacina febre amarela (atenuada); 
  • Vacina sarampo, caxumba e rubéola;
  • Vacina sarampo, caxumba, rubéola e varicela.

 Para adolescentes: 

  • Vacina hepatite B (recombinante); 
  • Vacina adsorvida difteria e tétano - dT (Dupla tipo adulto); 
  • Vacina febre amarela (atenuada); 
  • Vacina sarampo, caxumba e rubéola – SCR (VTV); 
  • Vacina papilomavírus humano 6, 11, 16 e 18 (HPV)(recombinante). 

Para adultos e idosos: 

  • Vacina hepatite B (recombinante); 
  • Vacina adsorvida difteria e tétano - dT (Dupla tipo adulto);
  • Vacina febre amarela (atenuada); 
  • Vacina sarampo, caxumba e rubéola – SCR(VTV); 
  • Vacina influenza (fracionada, inativada); 
  • Vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica).

 


Fontes: 1. Cartilha de vacinas: para quem quer mesmo saber das coisas. Cristina Toscano, Ligia Kosim, Brasília. Organização Pan-Americana da Saúde, 2003. Último acesso em 28 de junho de 2021. 2. Programa Nacional de Imunizações (PNI) : 40 anos. Ministério da Saúde. Último acesso em 28 de junho de 2021. 3. Calendário básico de vacinação da criança. Último acesso em 28 de junho de 2021.

Este material tem caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte sempre seu médico.
  • Para compartilhar