Indicação
Amora (acetato de clormadinona + etinilestradiol) indicado como contraceptivo (anticoncepcional hormonal oral combinado) e para o tratamento da acne papulopustular moderada estritamente limitado a mulheres que desejam a contracepção e para as quais o uso seguro do medicamento para contracepção foi cuidadosamente avaliado.
Princípio ativo
acetato de clormadinona + etinilestradiol
Concentração
Comprimidos Revestidos 2 mg + 0,03 mg
Apresentação
Comprimido revestido 2 mg de acetato de clormadinona + 0,03 mg de etinilestradiol: Embalagens com 21 comprimidos (1 cartela).
Informações Práticas
Sob Prescrição Médica
Comprimido Revestido
Indicação
Amora (acetato de clormadinona + etinilestradiol) indicado como contraceptivo (anticoncepcional hormonal oral combinado) e para o tratamento da acne papulopustular moderada estritamente limitado a mulheres que desejam a contracepção e para as quais o uso seguro do medicamento para contracepção foi cuidadosamente avaliado.
Baixar a bula
Compre aqui
Contra-indicação
Os contraceptivos orais combinados (COC) não devem ser tomados no caso das doenças descritas a seguir. O acetato de clormadinona + etinilestradiol deve ser imediatamente descontinuado se uma dessas condições ocorrerem durante a administração: - Presença de risco de tromboembolismo venoso (TEV): - Tromboembolismo venoso – TEV atual (com anticoagulante) ou história de TEV (ex. trombose venosa profunda ou embolismo pulmonar). - Predisposição hereditária ou adquirida conhecida para tromboembolismo venoso, tais como resistência à proteína C ativada (incluindo fator V de Leiden), deficiência de antitrombina III, deficiência de proteína C, deficiência de proteína S. - Cirurgia de grande porte com imobilização prolongada. - Alto risco de tromboembolismo venoso devido à presença de múltiplos fatores de risco. - Presença de risco de tromboembolismo arterial (TEA): - Tromboembolismo arterial – tromboembolismo arterial atual ou história de tromboembolismo arterial (ex. infarto do miocárdio) ou condição prodrômica (ex. angina pectoris). - Doença cerebrovascular – acidente vascular cerebral (AVC) atual, história de AVC ou condição prodrômica (ex. ataque isquêmico transitório). - Predisposição hereditária ou adquirida conhecida para tromboembolismo arterial, tais como hiperhomocisteinemia e síndrome de anticorpos antifosfolípides (SAF) (anticorpos anticardiolipina; lúpus anticoagulante). - História de enxaqueca com sintomas neurológicos focais. - Alto risco de tromboembolismo arterial devido a fatores de risco múltiplos ou à presença de um fator de risco grave tais como: - diabetes mellitus com alterações vasculares; - hipertensão grave; - dislipoproteinemia grave. - Diabetes mellitus não controlado; - Hipertensão arterial não controlada ou aumento significativo da pressão arterial (valores constantemente acima de 140/90 mmHg); - Hepatite, icterícia, distúrbios da função hepática até os valores da função hepática retornarem ao normal; - Prurido generalizado, colestase, em particular durante uma gravidez prévia ou terapia estrogênica; - Síndrome de Dubin-Johnson, síndrome de Rotor, distúrbios do fluxo biliar; - História pregressa ou atual de tumores hepáticos; - Dor epigástrica intensa, aumento do fígado ou sintomas de hemorragia intrabdominal; - Primeira ocorrência ou recorrência de porfiria (todas as três formas, em particular a porfiria adquirida); - Presença ou história de tumores malignos sensíveis a hormônio, por exemplo, da mama ou do útero; - Distúrbios graves do metabolismo lipídico; - Pancreatite ou história dessa condição, se associada à hipertrigliceridemia grave; - Primeiro episódio de cefaleia do tipo enxaqueca ou ocorrência de episódios frequentes de cefaleia incomumente; - Distúrbios sensoriais agudos, por exemplo, distúrbios visuais ou auditivos; - Transtornos motores (particularmente paresia); - Aumento das convulsões epilépticas; - Depressão grave; - Otosclerose que piorou durante gestações anteriores; - Amenorreia inexplicada; - Hiperplasia endometrial; - Sangramento genital inexplicado; - Hipersensibilidade a acetato de clormadinona, etinilestradiol ou qualquer dos excipientes. Um fator de risco grave ou fatores de risco múltiplos para trombose venosa ou arterial podem constituir uma contraindicação. Este medicamento é contraindicado no uso concomitante com medicamentos que contenham ombitasvir, paritaprevir, ritonavir e dasabuvir. Este medicamento também é contraindicado no uso concomitante com medicamentos contendo glecaprevir e pibrentasvir. (vide itens “5. ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES” e” 6. INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS”).